4 abr

Arte em grafite invade a SCAR

Intervenção de 5 artistas no Centro Cultural faz parte da comemoração dos 60 anos da Sociedade Cultura Artística de Jaraguá do Sul

Dentro da programação que pretende marcar os 60 anos de sua fundação, a SCAR – Sociedade Cultura Artística começa nesta segunda-feira, dia 28, projeto de intervenção com grafite no prédio do Centro Cultural de Jaraguá do Sul.

Até o dia 8 de abril, 5 artistas com trabalhos reconhecidos no Brasil e no exterior integram o coletivo de arte urbana que fará a intervenção na área externa do prédio de 10 mil metros quadrados. Além desta atividade, faz parte do programa a realização de visitas de escolares para acompanharem o trabalho dos artistas e um workshop para pessoas interessadas em conhecer o grafite como manifestação artística.

O workshop no dia 2 e a visitação de estudantes no dia 6 de abril, ambas atividades em dois períodos, pela manhã e à tarde, estão sendo oferecidas pela SCAR gratuitamente com o objetivo de mostrar o trabalho artístico e despertar o gosto pela expressão.

O grafite é uma arte urbana reconhecida no mundo inteiro e se tornou uma atração turística em muitos locais. A SCAR entende que ao mesmo tempo em que entrega uma obra artística de grande magnitude, associada ao teatro e à estrutura do Centro Cultural, homenageia a cidade e a sua arte nos 60 anos de fundação da entidade.
Edilma Lemanhê – gerente executiva

Além da intervenção com grafite, para marcar os 60 anos que serão completados em junho, a SCAR também está intensificando a implantação de outros dois projetos visando garantir o fornecimento de energia fotovoltaica e de captação de água da chuva para maior economia destes insumos no prédio do Centro Cultural.

São dois investimentos importantes que estamos realizando com o apoio da comunidade e que completam os princípios de sustentabilidade que a SCAR bem buscando alcançar, ou seja, a sustentabilidade da sua agenda de atividades, da sua gestão administrativa e financeira e a sustentabilidade ambiental.
Udo Wagner – presidente

Artistas que participam da intervenção no Centro Cultural

Rafael Sliks

Fortemente afetado pela textura da cidade, sua degradação pelo tempo e pela poluição, seu trabalho é a síntese de experimentações que passam pela cor, pela espessura dos traços, pelos cruzamentos entre o micro e o macro na composição, pela passagem do suporte do muro para o suporte da tela. Na trama de linhas variadas, pelas técnicas do spray FAT CAP, a linha do diâmetro de um fio de cabelo, vai compondo uma obra abstrata que migra do figurativo para o abstrato, aleatório, sintético e micro.

Alex Hornest

Convidado a integrar uma exposição coletiva no Museu da Imagem e do Som de São Paulo em 1994, nos anos seguintes continuou a pintar nas ruas e a levar suas obras para galerias e museus de todo o País. A partir de 2007, passou a expor regularmente nos Estados Unidos e Europa. Seus trabalhos estão presentes na cena urbana de São Paulo, Bahia, Espanha, Rio de Janeiro, Nova York, Lisboa, Miami, Roterdam, Bogotá e Atlanta.

Mateus Bailon

Inspirado por mitos, folclore e cultura popular, e pelo oceano infinito de possibilidades existente dentro do imaginário humano, seus trabalhos exploram narrativas que buscam evocar a conexão entre o ser humano e a natureza. Suas pinturas resultam em composições poéticas e ao mesmo tempo selvagens, marcadas pelas cores, o movimento e muitas vezes a mistura de diferentes técnicas em um mesmo trabalho. Tem exposições em Londres, Manchester, Saint Denis, São Paulo, Itajaí e Barcelona.

Mauro Neri

Mentor do coletivo Agentes Marginais e do projeto Cartograffiti, tem seu trabalho reconhecido nas ruas de São Paulo. As inscrições “Ver a cidade” e suas vertentes assim como os clássicos personagens esguios carregando casinhas amarelas nas costas podem ser vistos nos quatro cantos da cidade, sem exceção. Indicamos que este artista deve fazer alguns elementos de grafite com frases que envolvam a arte.

Enivo

Tem vários trabalhos na cidade de São Paulo, Rio de Janeiro e Boston. Além da arte livre-expressiva nas ruas e no ateliê, já ilustrou campanhas publicitárias para muitas marcas e decorou diversos lares e empresas. Graduado em Artes Plásticas pela Faculdade Paulista de Artes. Indicamos que seus trabalhos na linha do surrealismo sejam voltados a corpos, música, dança e teatro marcando seu forte que é a expressão facial.